Música coloca Monte Alto em evidência na semana

Jazz em Campinas e Gustavo da Lua movimentam cena cultural local.

Publicado em 9 de setembro de 2015 às 10h18

 

Mais curta, porém intensa. Assim tem sido a semana para a música montealtense.

Formado há cerca de um ano, a princípio como um trio, o hoje Barranco Quarteto (às vezes quinteto), vê brindado seu esforço em levar o Jazz a bares e praças – sobretudo a Praça Central e o Armazém Santo Onofre, em Monte Alto – com apresentação no SESC Campinas, na noite de terça, 8.

Junto ao saxofonista jaboticabalense Júnior “Perna” Barbosa, se juntam os “locais” André “Lemão” Pastre (guitarra), Silas “Madêra” Henrique (bateria) e Edimar “Edi” Rodrigues, no baixo. Levaram seu som a um dos SESCs mais prestigiados do Brasil, perfazendo trajeto de grandes grupos brasileiros – recentemente, perfil que cuida da divulgação musical do “monstro” Hermeto Paschoal divulgou versão feita pelo Barranco.

Da Lua

Com quinze anos de Nação Zumbi, uma das maiores bandas em atividade no país, o pernambucano Gustavo Da Lua lançou, recentemente, seu primeiro disco solo: segundo o jornalista da Folha e do canal GNT, Xico Sá, “um manifesto romântico, uma bendita louvação às mulheres e um destemido pronunciamento em defesa do amor nos tempos de fúria”.

Entre sua agenda atribulada – com shows da Nação Zumbi no Rio de Janeiro, Nova Iorque e, em breve, no Rock in Rio – Da Lua reserva tempo para, com time de primeira, divulgar seu disco: RadianteSuingaBrutoAmor.

Além de show em Ribeirão Preto na sexta, 11, parceria com montealtenses trará o show para o Botequim do Herculano, nesse sábado: Da Lua tem produzido canções junto ao guitarrista/produtor Thiago Barromeo que, junto a Luiz Felipe Nunes, traçam projeto para novo álbum: “Soluar”.

No evento, a abertura será da Banda Antes de Ontem, que após três anos de festivais no Rio de Janeiro, terá EP lançado pela gravadora Sony Music – a canção Maior Bem, dos montealtenses André Lemão Pastre, Luiz Felipe Nunes e participação de Guilherme Veroneze.

A Antes de Ontem possui músicos de Monte Alto, Sertãozinho e Jaboticabal.

O show de Da Lua no “Herculano” está previsto para às 23h, mas é bom chegar mais cedo – a procura tem sido grande. Será a primeira incursão no interior paulista, após shows no SESC Belenzinho, Serralheria e Associação Santa Cecília, em SP.

Da Lua

Gustavo da Lua, também conhecido como Da Lua (Recife, 02 de dezembro 1976) é um dos percussionistas da Banda Recifense Nação Zumbi, que juntamente com a banda Mundo_Livre_S/A deram origem ao movimento manguebeat.‪

Nascido de Olinda-PE, Da Lua foi um dos criadores, em 1996, do Sheik Tosado, juntamente com o cantor China. Mais tarde, juntou-se à Nação Zumbi, banda na qual toca tambor e percussão.

Em 2010 incorporou junto ao cantor Seu Jorge e outros companheiros como o baterista Pupillo, o guitarrista Lúcio Maia e o baixista Antônio Pinto, a banda Almaz, lançando o referido álbum Seu Jorge & Almaz.

Álbuns com a Nação Zumbi: (Da Lama ao Caos (1994), Afrociberdelia (1996), CSNZ (1998), Radio S.Amb.A (2000), Nação Zumbi (2002), Futura (2005), Propagando (DVD) (ao vivo) (2006), Fome de Tudo (2008), Ao Vivo em Recife (DVD) (ao vivo)(2012).

Participações com Otto, Bonsucesso Samba Clube, Academia da Berlinda, Eddie, Guardaloop, Mestres da Guitarra, Kiko Loureiro, Seu Jorge e Almaz.

Trilhas sonoras no cinema: Besouro (2009), Baile_Perfumado (1997), Senna (2012), Meu Tio Matou um Cara (2013). Trilha sonora em novela: Lado a Lado.

Luiz Felipe Nunes – MTb 39868
Diretor de Comunicação – Consórcio Intermunicipal Culturando
Leia mais sobre , , , , ,

Veja também

Comentários